Pular para o conteúdo
15/07/2010 / Marcio Kohara

Novidades na Indy -pra 2012

A IndyCar confirmou ontem que a Dallara segue como fornecedora de chassis para a categoria no triênio 2012-15. Assim, no fim do período, a fabricante italiana completará 18 temporadas presente naquela que se tornou a única categoria de monopostos de alto nível nos Estados Unidos. Até aí, nenhuma novidade, porque, apesar de ter feito coisas como aquilo que corre com as cores da equipe Hispania na F-1, a Dallara é uma respeitada construtora de chassis, com larga tradição nas pistas. Isso sem contar que a outra candidatura levada a sério -a da Delta Wing- era de um carro que mais parecia um jato pronto a levantar vôo -e não a fazer curvas em velocidade como os carros de corrida devem fazer.

Uma ideia pareceu bem interessante. É a transformação do conceito de categoria monomarca da Indy -que só tem uma fornecedora de chassis desde 2006. Se antes todos os carros deveriam ser iguais -o carro vendido pela Dallara-, agora as equipes podem equipar os seus carros com kits aerodinâmicos diferentes, produzidos por terceiros e homologados no começo do campeonato. Ou seja, os carros poderão ser diferentes na questão aerodinâmica, o que pode ocasionar mais chances de ultrapassagens.

Boa nova também é que os chassis -agora denominados “Célula de Segurança IndyCar”-custarão menos para as equipes. Sairão por módicos US$ 385mil -que significa 45% a menos do que os atuais modelos. O valor dos kits aerodinâmicos será limitado a US$ 70mil. Tudo isso fará com que a categoria tenha os seus custos reduzidos, permitindo com que as equipes menores também possam brigar por posições melhores.

Outra notícia interessante é que a Indy também irá adotar motores turbo-comprimidos (mais eficientes do que os aspirados [NR: viu Fórmula 1?!]). Somado ao “emagrecimento” do carro, implicará em carros (um pouco) mais econômicos e ambientalmente amigáveis.

Claro que tivemos algumas patacoadas -como o anúncio de que as equipes sediadas no estado de Indiana terão direito a um desconto na compra, ou do próprio anúncio que a Dallara irá construir uma fábrica na cidade de Speedway, nas proximidades do Indianapolis Motor Speedway.

Mas, no geral, a sensação depois deste anúncio é que a categoria pode sim voltar a ter os seus dias de glória -e a categoria não se juntaria aos exemplos dados por Bruce Springsteen na letra de um de seus maiores sucessos

PS. Mas nenhuma destas boas novas da Indy superou o nome com que foi batizado o plano de mudanças do regulamento da categoria. ICONIC (Innovative, Competitive, Open-Wheel, New, Industry-Relevant, Cost-Effective – ou Inovador, Competitivo, “Monopostos”, Novo, “Relevante p/a indústria” e “com boa relação custo benefício”, numa tradução aproximada). Me lembrou dos gibis da Disney [principalmente dos Escoteiros Mirins] e seus personagens com nomes formados por acrósticos [NR. agradecimentos a Ron Groo pela lembrança do termo]…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: