Skip to content
03/11/2010 / Marcio Kohara

Uns desabafos [meio bobos]

Semana de Grande Prêmio do Brasil (do Brasil, porquê sem o ‘do’ é a tradicional corrida de cavalos disputada nos meses de agosto no Jockey Club Brasileiro, na Gávea, São Sebastião do Rio de Janeiro). Eis que todos os informativos brasucas resolvem falar sobre Fórmula 1, descobrem que é legal, é batuta e vale queimar umas páginas para falar sobre. Se bobear, na quinta-feira aparecem as matérias na TV, os cadernos especiais, os guias da temporada da categoria explanando sobre as novidades nas regras da temporada… a uma semana do fim da temporada. Criam um hype sem nexo e sem tanto motivo. Claro que a etapa brasuca é importante e tal. Mas não seria melhor tratar o fã de automobilismo com mais carinho, dando informações por toda a temporada? Enfim, nada contra, mas que é estranho, é.

“Ah, o GP do Brasil é a maior audiência da categoria na Globo no ano. Atrai os manés que não gostam de Fórmula 1 mas estão esperando a rodada do Brasileiraço-aço-aço, por isso é relevante que se leve informação para este telespectador/ouvinte/leitor”. Pode até ser, mas quem não acompanha normalmente não vai se interessar pela categoria na última semana do campeonato -ainda mais sem ‘brasileiro na frente’. Nem vai querer acordar mais cedo para acordar no bom dia da Helen Martins e nos créditos do Globo Rural só para ver o final da temporada. Quem acha a F-1 chata não vai mudar de opinião por causa de uma corrida, mas vai continuar maldizendo a categoria… E, se um brasileiro ganha neste domingo -tão fácil quanto eu acertar as seis dezenas da Megasena-, no outro domingo não ganha e os pachecos de plantão voltarão a falar mal da categoria, como sempre. Ou seja, é um trabalho inútil. Enfim. Vida que segue.

Felipe Massa disse nesta terça sobre a normalidade de ter que ceder a posição caso esteja numa posição melhor do que Fernando Alonso porque o espanhol briga pelo título e ele não… (citando a matéria do Tazio, mas foi repercutida por toda a imprensa brasileira presente a entrevista do piloto da Ferrari)

Não é a primeira vez que um companheiro de equipe meu é campeão. Foi um ano difícil para mim. Se não estou na luta pelo título, é porque não consegui fazer aquilo que eu pretendia. Mas, sobre o companheiro, tudo bem. Não é nada do que eu já não tenha vivido. Todo ano você aprende. Mesmo em anos ruins. Minha carreira nunca foi fácil

Bom, não movo uma linha do que já escrevi por aqui. Massa só foi responsável pelo que aconteceu em Hockenheim porque não se tornou um candidato viável a conquistar o título. Por outro lado, a Ferrari poderia não ter definido o seu candidato tão cedo -já que nunca havia o feito tão cedo assim desde a era Schumacher. Agora, o piloto e a equipe são um tanto responsáveis pelo que aconteceu depois de tudo, por se omitirem na explicação do caso. E acredito que, se tivesse explicado lá na Alemanha que a coisa seria assim até o fim do ano, não teria que ficar se explicando toda hora.

Ok, seria difícil de explicar para a Globo que a coisa não se resume a o brasileiro na frente, que a Fórmula 1 não é a Indy e eles não podem usar o mote da Band. Mas o fato é que, desde o meio da temporada a Ferrari decidiu que ia ser assim e assim foi até agora. Ok, falar lá seria admitir o que a FIA proíbe e agora parece que ficou tudo liberado porque a FIA se reuniu antes do GP da Itália e deu o sinal verde? Pior ainda. É não ter hombridade de admitir o que se fez, só o fazendo depois que o tempo clareou. Talvez seja essa a grande vergonha de todo o caso.

Se era assim, teria sido melhor se sair sem se comprometer, como o Massa havia feito por toda a sua carreira -um exemplo foi a entrevista com Galvão Bueno na decisão de 2008, em que ele saiu sem prometer o título-, a tentar desmentir o óbvio -como foi desta vez.

Mas, como sou apenas um torcedor de arquibancada, me recolho a minha insignificância. Vida que segue.

Anúncios

2 Comentários

Deixe um comentário
  1. Ron Groo / nov 3 2010 2:44 pm

    Bem, é como outro esporte qualquer, menos o futebol, e tem uma final ou uma etapa aqui. Dá-se suporte porque sempre vai ter neófito de olha na tv. A gente que gosta e até entende um pouquinho se diverte com os erros nas matérias, as gafes, as burradas…

    Quanto ao Massa, é verdade, bem lembrado. Ele deu entrevista em 2008 mas não prometeu nada além de empenho.

  2. Miguel / nov 4 2010 9:49 am

    Gostei do texto.
    Parece o que se passa em portugal com os desportos motorizados.
    Só se lembram, que existem, quando a prova é em portugal ou existe um Português na luta pela vitória.
    O que é triste e um mau serviço ao desporto motorizado.

    Abraço de um leitor português.

    Miguel

    Viseu, Portugal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: