Pular para o conteúdo
19/07/2011 / Marcio Kohara

A categoria mais legal do esporte a motor

Uma das categorias mais legais do esporte a motor mundial é o Mundial de 125cc. Invariavelmente as suas corridas são divertidas e sempre tem uma briga de posições que mais parece uma briga de foices entre cegos no escuro em suas corridas. Normalmente estas brigas absurdas são pela vitória e invariavelmente envolvendo mais de dois pilotos. Claro que, como sempre acontece nestas categorias-escola, sempre acontecem algumas patacoadas bizarras (como o erro nas contas de julian Simon no final do GP da Catalunya de 2009), mas, no geral, são corridas divertidas numa categoria equilibrada -coisa que nenhuma de suas irmãs maiores consegue hoje.

A MotoGP vive com os seus pilotos de vidro, suas corridas chatas com 16 pilotos e seus dilemas hipócritas (como o último, de Jorge Lorenzo e Casey Stoner batendo o pé e dizendo que não irão ao Japão por causa do problema nuclear, apesar de todos terem adesivos de apoio ao povo japonês, meio como se dissessem ‘boa sorte e morram por aí’). A Moto2 até é mais divertida, mas não chega aos pés da 125cc. Pena que as dois tempos estão acabando. Ano que vem elas serão substituídas pela Moto3, encerrando uma história de 63 temporadas das oitavo de litro na pista. Deixarão saudades.

Um bom exemplo dessa maluquice que é a 125cc foi O GP da Alemanha, disputado no último domingo. Hector Faubel liderava a corrida, numa bela batalha a três na última volta com o francês Johan Zarco e o novato sensação espanhol Maverick Viñales. Mas, na curva derradeira da pista de Sachsenring, Faubel deixou a porta interna aberta e  o francês viu a brecha para fazer a ultrapassagem. Num primeiro momento, a vitória (pela ínfima diferença de… UM milésimo) foi dada para Zarco, que fez a volta de desaceleração comemorando a sua primeira vitória no Mundial. Porém, na revisão do photo-chart, o resultado inusitado. Ambos cruzaram a linha de chegada ao mesmo tempo e a vitória foi dada ao espanhol por ele ter feito uma melhor volta mais rápida do que o adversário. Vale ver o vídeo no A Mil Por Hora do mestre Rodrigo Mattar.

Não é a primeira vez que isso acontece na motovelocidade, como lembra Mattar. Em 2004, Jorge Lorenzo e Andrea Dovizioso cruzaram a linha empatados no GP do Catar de 2004 na categoria 125cc e na disputa pelo segundo lugar no GP de Portugal de 2007 nas 250cc, Hector Barberá e Mike di Meglio também fecharam a prova juntos. Ainda assim, não deixa de impressionar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: