Skip to content
03/09/2011 / Marcio Kohara

A Indy como ‘tapa buraco’ de programação

Curiosa a situação da Fórmula Indy no Brasil… Vira e mexe é elevada ao status de categoria rival da Fórmula 1, só que em algumas outras oportunidades também é tratada como um evento quase sem importância. Teremos um momento que a categoria é tratada assim, como lixo, neste final de semana, quando a etapa de Baltimore não terá transmissão ao vivo pela televisão para o Brasil -pelo menos por vias legais. Claro, a pista de Baltimore não parece muito propícia para corridas emocionantes -como normalmente não são as corridas em traçado misto da Indy-, mas ainda assim merecia uma moral, não é mesmo?Tudo bem, nem tão ao céu, nem tão ao inferno. A Indy não é essa última bolacha do pacote, como nos quer fazer acreditar o pessoal da emissora. É uma categoria legal, que tem a sua importância, mas que no Brasil tem relevância maior por causa de dois fatores fundamentais. Um é a popularidade histórica que ela tem, sedimentada por nomes como Emerson Fittipaldi, Gil de Ferran, Helio Castroneves e Tony Kanaan. E outro é o fato de que a categoria tem boa divulgação midiática, com transmissão em TV aberta e tudo mais.

Claro. Até dá para entender que a Bandeirantes -canal aberto- não transmita a Indy no final de semana. Mas, pelo fato do automobilismo não ser o futebol, até dá para entender que a corrida da Indy não seja exibida na Bandeirantes. Afinal de contas é difícil abrir mão da audiência, do status e do dinheiro que dá o Campeonato Brasileiro, por mais que não seja exatamente fácil engolir personagens como Neto e Milton Neves falando abobrinhas na sua televisão. E, por um azar imenso, o horário da corrida da Indy em Baltimore coincide exatamente com o horário das partidas exibidas pela TV aberta. Ok. Faz sentido. Não dá para mostrar ao vivo pela Band, mas é para isso que a Band tem freqüências alternativas disponíveis, não é mesmo? Er… Bem… Não. A Band não tem mais uma TV aberta disponível. Afinal locou o seu Canal 21 para uma igreja nos últimos anos -a ‘Igreja Mundial do Poder de Deus, do Pastor Valdomiro Santiago-, a fim de aumentar a arrecadação do grupo. Então, não tem mais uma alternativa disponível. Mas, para muitos torcedores de centros -como Salvador, por exemplo- chega a ser uma boa notícia, afinal não tinham acesso à corrida porque o Canal 21 não tinha retransmissoras afiliadas na região.

Agora, por que o Band Sports não vai mostrar ao vivo a corrida? Está agendada a transmitindo uma etapa do Global Champions Tour que acontece no Brasil… Mas você sabe o que é o ‘Global Champions Tour’? … <som de grilos>

Ok, facilitando um pouco, o evento transmitido será o ‘Athina Onassis Horse Show’ -um dos grandes eventos de hipismo do mundo realizado anualmente no Rio de Janeiro- e o Global Champions Tour é uma série de torneios que reúne os grandes conjuntos -mal comparando, seria como é a série ‘Masters 1000’ para o tênis masculino, por exemplo. Mas, convenhamos, preterir a Indy -que tem a sua legião de aficcionados- para colocar um evento de hipismo? Não é exatamente um mistério. A resposta é financeira, mais uma vez. Afinal o hipismo ajuda a qualificar a audiência -traduzindo, traz gente mais rica pra assistir o canal e, consequentemente, novos anunciantes- enquanto o pacote da Indy já está todo vendido e não vai trazer mais dinheiro para os cofres da emissora.

A Band poderia alegar que vive a sindrome do pobre, que vê os seus eventos sociais se acumularem em apenas um final de semana -enquanto em outros nada acontece- e não pode comparecer a todos, não é mesmo? Até poderia, mas esta é a segunda vez consecutiva que a Band troca a Indy ao vivo em sua emissora por assinatura. Na semana passada, o Band Sports preferiu abrir mão da transmissão ao vivo para mostrar, ao vivo, o segundo tempo da peleja entre Sporting e Maritimo, pelo empolgante Campeonato Português de futebol. Campeonato Potuguês que, sim, até o amigo Paulo Alexandre concordará, é aquele que começa já sabendo qual será o campeão -e não é o time grande que protagonizou a partida, mas sim o Porto. Como se para não passar recibo e não enlouquecer os comentaristas, depois passou o VT da GT3 Brasil e deixou a transmissão do VT da Indy para depois da bandeirada, com narração feita na hora em que era exibida -perceptível pelos comentários do Eduardo Homem de Mello, que indicava o SAC da emissora para eventuais reclamações que estava recebendo via redes sociais…

Convenhamos, a Band nunca foi muito organizada -e isso explica um pouco da situação financeira da empresa. Nos jogos de Atenas, por exemplo, conseguiu a proeza de mostrar ao mesmo tempo o mesmo evento -um jogo da seleção brasileira de futebol feminino- nos três canais disponíveis -Band, Band Sports e um canal extra do BandSports. Mas poderia respeitar os seus poucos assinantes. Até mesmo para o Band Sports não voltar a ser o canal desimportante que já foi há alguns tempos. Ok, passa muitos eventos de esporte a motor? Sim, os direitos da DTM e SuperBike, para o Brasil, são deles. Mas ajuda a dar mais popularidade ao canal a exibição de eventos de forma organizada. E, se o evento é popular a ponto de passar na TV aberta, pode muito bem ajudar a alavancar audiência e justificar o pagamento de um canal por assinatura, que não é barato. Principalmente porque a audiência de uma corrida ao vivo seria bem maior do que a audiência no VT -e ajudaria a manter intacta a reputação do canal entre os fãs da categoria que por ventura façam o mau negócio de assinar o canal em função do evento. Para um canal que perdeu outro de suas grandes atrações nestes últimos dias -a NFL deixou de fazer parte da programação do canal, passando a ser exclusiva da Espn-, seria uma boa ideia prestigiar o outro grande evento que ainda vende os seus direitos para o canal. Tanto a categoria como os seus fãs -que são bem mais do que os fãs de hipismo… Mas tratar audiência com respeito não parece ser a especialidade da emissora…
Anúncios

2 Comentários

Deixe um comentário
  1. Ron Groo / set 5 2011 5:51 pm

    E agora virou onda na Bandeirantes passar a corrida em video tape integral após o Terceiro Tempo do Milton Neves no Domingo…
    Beleza, ao menos passa, mas é muito chato vender o negócio como a quinta maravilha do automobilismo, rival da F1 e só passar tapes.

  2. Rodrigo Ferreira / set 6 2011 2:55 pm

    Além disso os equinos de Athina Onassis foram trazidos ao Rio e o evento foi organizado nada menos que pelo filho do Sérgio Cabral, Governador do Rio de Janeiro, explicado???

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: