Pular para o conteúdo
19/01/2012 / Marcio Kohara

Under pressure!

… That burns a building down / Splits a family in two / Puts people on streets (Queen e David Bowie)
Jari-Matti Latvala foi o protagonista do primeiro dia de Rally Monte Carlo, disputado nesta quarta-feira. Pelo menos pelo lado negativo -já que pelo positivo a performance de Sebastien Ogier em 4º mesmo com um Skoda Fabia Super 2000 precisa ser exaltada. O finlandês da Ford dominou o dia de competições, mas bateu e capotou na quarta especial e foi obrigado a abandonar. Pior ainda para ele e para as suas ambições de campeonato, não poderá se juntar novamente à caravana já que o SuperRally, ou Rally2, não estará disponível para este rali, ou seja, está fora de Monte.
O fato é que Jari-Matti, mais uma vez, mostra que é um piloto absurdamente rápido, mas que não sabe, ou não consegue, completar as provas. Há um mote em Monte Carlo: quem anda sempre no limite em Monte, acaba passando dele. Nesta quarta-feira vimos exatamente isso acontecer com Latvala nos Alpes franceses. O finlandês liderou assumiu a liderança ao final do turno da manhã e fecharia o dia na liderança da classificação geral se não tivesse cometido o erro na última especial. Mas cometeu um erro crucial e acabou ficando de fora do rali.
Afobação? Falta de experiência? Não deveria ser, apesar deste ter sido a estréia dele como primeiro piloto da equipe Ford oficial. Só que Jari-Matti está em sua sexta temporada em alto nível no WRC, a quinta defendendo a equipe principal da Ford e quatro anos depois de bater o recorde de Henri Toivonen e se tornar o piloto mais jovem a vencer no WRC. Claro, Latvala é jovem, tem 26 anos de idade -completa 27 em abril-, o que para os parâmetros do rali é uma idade baixa para um piloto com tanta bagagem.. Mas o piloto da Ford precisa achar um meio termo entre a velocidade pura e a consistência.
O fato é que a M-Sport tem tido uma paciência admirável na condução da carreira do jovem de Toysa. E trabalhou pacientemente para que este momento chegasse, o momento em que Latvala assume o posto de primeiro piloto e passa a ser o cara para brigar pelo títulos para a Ford. De fato, velocidade não falta. Mas falta consistência para terminar os ralis sem acidentes e transformar a velocidade do início dos ralis em pontos.
Por exemplo, no ano passado Mikko Hirvonen fez uma temporada fraca em termos de velocidade. Frequentemente superado por Latvala e por Ogier. Mas foi o único que chegou à última etapa do Mundial com chances de tirar o título de Loeb. Por que? Porque Hirvonen fechava os ralis e somava pontos -teve apenas um rali em que não chegou entre os cinco primeiros, na Grã Bretanha, quando abandonou e ficou sem chances de título-, enquanto Latvala teve uma série de seis ralis com dois pódios e as quatro ralis comprometidos por acidentes. Claro, Latvala tem evoluido. Na mesma temporada passada, teve duas séries de quatro ralis conseguindo resultados positivos -chegando no pódio, ou abrindo mão dele para beneficiar Hirvonen, como aconteceu na França. Antes o máximo que havia conseguido era uma sequência de dois pódios. Mas isso ainda não é suficiente para fazer frente a Sebastien Loeb -e agora a posição de Latvala demanda sequências ainda maiores de pódios e vitórias.
Claro, Latvala pode ter se sentido pressionado a conseguir algum resultado expressivo, até para mostrar a Petter Solberg -recém chegado à equipe e com o status provisório de 2º piloto- e aos jovens Ott Tanak e Mads Ostberg -tratados como prospectos promissores pela M-Sport- que ele manda no recinto. O problema é que não deu certo e agora quem se encontra na linha de fogo é ele.
O fato é que Jari-Matti terá que mostrar resultados e consistência em breve, ou corre o risco de ser relagado ao posto que ocupava anteriormente na equipe, de segundo piloto, trabalhando por Petter Solberg. Ou, num ato extremo, também pode até ser degolado pela equipe, não tendo o contrato renovado no final do ano. Seria uma pena ver um piloto ser trabalhando por tanto tempo e não virar nada. Mas, pela demora que Latvala está tendo para evoluir, não seria um desfecho tão absurdo assim.

One Comment

Deixe um comentário
  1. Ron Groo / jan 19 2012 2:53 pm

    Então os experientes também sentem pressão….

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: